• Andréa Jaeger Foresti

Planos para 2020

2019 foi um ano difícil. Um ano sem editais para quem atua na área da Educação para Sustentabilidade. Encerramos nossa atuação em um grande projeto da Fundação Banco do Brasil em fevereiro e chegamos em dezembro com os recursos econômicos limitados.

Buscar doadores nunca foi uma alternativa que nos atraiu porque nos distancia do nosso objeto profissional: os projetos e as intervenções sociais.


Com a Tecnologia Social (TS) Joias Sustentáveis atuamos, desde 2014, na perspectiva da sua transferência para moradores do Programa Minha Casa Minha Vida, no âmbito do Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social (MUTS), da Fundação Banco do Brasil. Em 5 anos elaboramos a metodologia de transferência, articulamos teorias a práticas sustentáveis direcionadas a comunidades socialmente vulneráveis de 11 estados brasileiros, visando à sustentabilidade de cada grupo. Nessa perspectiva, o foco do trabalho do Instituto Redecriar foi, durante esse período, monitorar o processo de desenvolvimento comunitário que se inicia com a transferência, e promover, durante 5 meses em cada comunidade, encontros sistemáticos entre os grupos, contribuindo assim, com o sentimento de pertencimento social e o sentido de comunidade aos moradores dos residenciais do Programa. Alguns grupos constituíram associações comunitárias, outros formaram micro empreendimentos individuais para diferentes objetivos: organização coletiva para garantia de direitos sociais, geração de trabalho e renda. Em 2019 concluímos nossa participação nesse projeto e tivemos que mudar o foco de atuação (das Políticas Públicas para o Mercado) para estabelecer um olhar para 2020 em vistas de captar recursos. Algumas ONGs captam recursos através da solicitação de doações. Nós optamos pela prestação de serviços, produção e comercialização de peças que compõem a Tecnologia Social Joias Sustentáveis.


Investimos na criação de um site com plataforma de e-commerce visando à comercialização de Joias Sustentáveis e a divulgação de cursos, de forma a criar um fundo econômico para ser aplicado em projetos sociais. A complexidade dessa área, que não se configura como nosso objeto de trabalho, nos aproximou de profissionais qualificados para isso. Além do investimento na criação da plataforma, também dedicamos parte dos recursos captados em webmarketing, com o objetivo de ampliar o número de seguidores de nossa causa e alcançar a comercialização de nossas peças.


Começamos a produzir Joias Sustentáveis e participar de feiras, como as da Moda Sustentável. Começamos a oferecer cursos de Joias Sustentáveis em nossa sede. Nosso universo de parceiros passou a ser formado por Publicitários, Designers e Estilistas. Percebemos que nos distanciamos das comunidades e quase nos perdemos do nosso foco principal. No Curso de Serviço Social aprendemos a refletir sobre a realidade social e a criar planos de ação para superar demandas. Com isso, resolvemos resgatar nosso propósito e elaborar um novo projeto para 2020, ano que completaremos 15 anos de existência.


Um encontro com moradores da comunidade da Ilha das Flores, em dezembro, nos mostrou que as reflexões continuam fazendo sentido e que a leitura de realidade que fizemos a partir delas está totalmente alinhada com as necessidades humanas daquela população. Uma breve apresentação sobre nossas ações de 2019, com franqueza e transparência fortaleceu a confiança da comunidade no Instituto Redecriar. Mostramos que não alcançamos os resultados pretendidos de forma a desenvolver o projeto ideal, mas reforçamos o compromisso de voltar à comunidade com os poucos recursos que conseguimos captar no mercado da Moda Sustentável. Voltaremos à comunidade em março de 2020 com o Projeto Redecriar 2020 na Ilha das Flores, com o objetivo geral de "auxiliar os participantes nas escolhas, decisões e metas para uma melhoria da qualidade das relações familiares, comunitárias e consigo mesmo".

 

Como percebemos que há uma sintonia entre nossa leitura de realidade e o que a comunidade realmente necessita? Uma dinâmica simples, constituída de uma tarefa que parte da escolha de cartas de um baralho com mensagens de felicidade. Cada participante escolheu uma carta sem saber o conteúdo, disposto para baixo sobre uma mesa, e teve o tempo de uma música que tocava para ler seu conteúdo, refletir e tentar relacionar com o que foi apresentado pelo Instituto Redecriar e também com alguma situação sua, vivenciada em 2019. O resultado foi surpreendente. Cada carta, chegou às mãos das pessoas com as características mais próximas de suas personalidades

Luci é uma pessoa muito alegre, e sua carta foi ALEGRIA.

Ela entende que a Redecriar traz alegria pra ela e suas vizinhas. O que a deixou alegre em 2019 foi o filho, que tem problema mental, pois conseguiu ficar melhor, menos agressivo, menos violento. Lembrou que em uma das intervenções de 2018, ela havia relatado que o filho estava muito violento e que não conseguia consulta com o psiquiatra. Um contato imediato, do Instituto Redecriar com o conselheiro tutelar da região, para evitar que algo grave acontecesse com ele na escola ou mesmo em casa, permitiu um encaminhamento na mesma semana. O psiquiatra o atendeu, mudou a medicação dele e desde então, ele conseguiu estabilizar o humor e conviver de forma mais harmônica com a família e colegas da escola.


Luíza tem 3 filhos, cria todos sozinha, com recurso do Programa Bolsa Família. Sua única fonte de renda. Mesmo com dificuldade ela sorri e se considera uma pessoa de SORTE. E sorte foi a sua carta. Ela entende que a sorte é que, mesmo que a Redecriar não tenha conseguido os resultados ideais para realizar um novo projeto, o projeto vai acontecer. Ela também considera que teve sorte com filho, que conseguiu ficar bem de saúde depois de mais de 1 mês de hospitalização.


Sônia é mãe de 5 filhos, avó de 5 netos, bisavó de 1 bisneta, e muito sonhadora.  

A carta dela foi o SONHO. Ela arrisca afirmar que o sonho sempre ajuda as pessoas a se movimentarem. "A Redecriar sempre fez acontecer porque a Andréa tem um sonho bem grande, que não deixa ela desistir dessa caminhada. Um sonho que aconteceu esse ano pra mim e pra comunidade foi a conquista de um misturador para a produção do sabão ecológico, que chegou por causa da parceria que fizemos com a Unisinos." 


Juramar questionou: "será que essas cartas têm realmente uma relação com cada um que a tirou? Não sei se eu sou tão inteligente, mas eu vejo muita INTELIGÊNCIA na Redecriar... os prêmios que recebeu, as decisões que o grupo fez, de continuar independentemente das não-condições pela falta de políticas públicas que viabilizam os projetos... eu vejo inteligência nas pessoas que fazem parte do trabalho porque elas conseguem “ler” a realidade das populações pobres. Eu realmente não sei o que vai acontecer com a gente em função das tantas perdas de direitos que vieram com esse novo governo... então eu acho que a gente deveria aprender a se organizar na associação, com os cargos... não dá pra ser uma associação só com 2 pessoas trabalhando..."

 

Andresa é filha de Sônia, mãe de 3 filhos e avó de uma neta. A carta dela foi AMIZADE. E sobre a carta ela afirmou: "pra mim, a Redecriar me trouxe muitas amizades. Quando eu fui a auxiliar da Andréa em Brasília, pra desenvolver a Tecnologia Social Joias Sustentáveis, eu conheci e fiquei amiga de tanta gente... E sobre as novas amizades desse ano, eu consegui porque fiz um trabalho para a Marina da Ilha. Eu gosto de fazer novos amigos!"

 

Adriana tem duas filhas e está grávida da terceira. SAÚDE MENTAL foi a sua carta. A relação que ela fez foi sobre seu entendimento do trabalho que o Instituto Redecriar desenvolveu, capacitando-a para a reaplicação da Tecnologia Social Joias Sustentáveis. Disse ela: "desde que eu comecei a ir nos encontros da Redecriar, na escola, ano passado (2018), eu falava que era como uma terapia, que me ajudava muito. Esse ano, que não teve projeto aqui, eu sentia muita falta... então eu até pegava as minhas ferramentas e produzia algumas coisinhas... mas sozinha não é a mesma coisa. O grupo ajuda muito mais!"

 

Sílvia tem 6 filhas e 4 netos. Todos moram com ela. A carta da Sílvia foi NEGÓCIOS. Ela entende que o trabalho do Instituto Redecriar em 2019 foi a tentativa de um novo negócio, que em parte deu certo, e que continuará dando resultados em 2020. Os trabalhos que Sílvia fez em 2019 foram considerados por ela, como negócios bem sucedidos, porque permitiram que ela concluísse a reforma da casa onde mora com todos filhos e netos.


Juliana é filha da Sílvia, tem 3 filhos e tirou a carta SUCESSO. Embora o Instituto Redecriar não tenha conseguido 100% dos resultados esperados, Juliana compreende que o sucesso não se refere somente aos resultados, mas sim às atitudes. Quando se tem uma queda, pode-se permanecer imóvel, com pensamentos negativos. A outra alternativa é se levantar e buscar novas formas de vencer. E o Projeto de 2020, ela vê como uma atitude de sucesso. Sobre sua vida particular em 2019, ela vê sucesso no tratamento de saúde, por ter conseguido identificar o medicamento que resolve seu problema, sendo que o mesmo é fornecido pelo Posto de Saúde.


2019, um ano de muito aprendizado, um final de ano de muita convicção: as comunidades nos ensinam e nos inspiram a permanecer na luta pela garantia de seus direitos. 2020, um ano que nos desafia a renovar nossa metodologia de trabalho.






11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo